Apenas um par de jeans

26.06.2017

 

Não dá pra olhar o macro e ignorar os impactos gerados pelo que parece menor. Subestimar é característica das mais humanas, exercitada sobretudo pelos mais competitivos. A ignorância e a desinformação aumentam o tamanho do problema. Quanto aos uso correto dos recursos hídricos, somos completamente inábeis.

Não só parece, é muito: o planeta tem 1,4 bilhão de quilômetros cúbicos de água. Nem tudo serve para o consumo humano. E, cá pra nós, lidar com gente é complicado. Aqui no Brasil ainda mais. A gente reclama que os franceses não tomam banho, se valem de perfumes. E não se dá conta de outros gastos da indústria da moda.  Para produzir uma única calça jeans, por exemplo, as fábricas gastam entre 4 mil e 11 mil litros.

O intervalo entre um número e outro é grande e justificado pelo tipo de lavagem do demin. Quanto mais moderna e desgastada – o que as marcas vendem como “diferenciada”-, mas cara para o meio ambiente é.

A primeira vez que ouvi falar no tamanho desse absurdo já faz uns bons anos. Foi em 2010, quando a Damyller adquiriu uma máquina de ozônio, fabricada na Espanha, reduzindo, de imediato, o gasto mensal de 3,3 milhões de litros de água no tratamento dos seus produtos. A marca, desde sua fundação há quase quatro décadas, reutiliza 90% da água colocada no processo de produção dos seus jeans.

É prata da casa que precisa ser valorizada porque hoje a Damyller está ao lado de gigantes internacionais como a americana Levi’s e a holandesa G-Star, no que diz respeito a minimizar os impactos ambientais do uso excessivo de água nas fábricas.  

Tratar e reutilizar é fundamental. Atualmente 1 bilhão de pessoas não têm acesso à água potável e cerca de 4 mil crianças morrem diariamente vítimas de contaminação.

Jeans é cool! Não quero colocá-lo aqui numa condição indigna. Até porque para tudo o que consumimos é gasto um muito de água. Produzir um quilo de arroz gasta 3,4 mil litros e a mesma quantidade de carne – a vilã da vez – precisa de 15 mil litros para ser processada e colocada para o consumo.  Isso inclui o cultivo dos grãos e do pasto que alimentam o gado e tudo o mais.  Porém, deixar de comer é impensável. Mas nós podemos e devemos pensar melhor na hora de consumir o que não é essencial.

Muda-se a estação e o shape das roupas. Se a gente for olhar pra trás, muitos de nós passamos pela calça semi bag, boca de sino, flare, reta, skinny e estamos sempre dispostos a mudar. Pelo menos é o que me parece. Mas, tanto quanto não se deve lavar uma calça jeans a cada semana ou a cada dois ou três usos, é impossível pensar em mudar essa parte do closet a cada temporada.

Doe, passe pra frente o que ficou mais folgado depois que você entrou na onda fitness. Transforme a calça velha em outra peça que possa ser usada. Só não descarte.  A gente pode se valer de ter a maior produção de jeans da América Latina e ocupar a terceira posição no ranking mundial, com 350 milhões de peças ao ano, segundo o último levantamento do Instituto de Estudos de Marketing Industrial.  Mas o maior orgulho seria valorizarmos ideias que apoiem o consumo consciente.

Aqui no Brasil a estilista Chiara Gadaleta tem nos feito abrir os olhos. Através do prêmio ECOERA, reconhece iniciativas de pessoas e marcas que expandem seus negócios pensando verde.

Outra coisa, caso leitor, é o produto chinês. A China tem 20% da população mundial e apenas 7% das fontes de água. Ou seja, todos nós pagamos a conta do crescimento da economia deles.

Pense em tudo isso na hora de entrar por impulso numa loja e sair cheio de sacolas. Há outros investimentos mais interessantes, inclusive na moda, e que causam menos danos.

 

* Texto originalmente publicado no Novo

 

 

 

Please reload

Destaque

O que comprar em promoção?

08.07.2019

1/6
Please reload

O CRICOFELIX.COM é o site criado pelo jornalista Cristiano Felix sobre tudo o que interessa ao dândi moderno: tecnologia, moda, comportamento, gastronomia etc. As imagens contidas podem ser creditadas ou reproduzidas de fontes externas. Caso você tenha os direitos sobre qualquer imagem publicada aqui e não quiser que ela seja veiculada, entre em contato para que ela seja prontamente removida.  

Categorias:

Comente aqui:

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now