Calcanhares de fora

22.06.2017

 

Seu Sebastião era um homem de poucas palavras. Quase sempre sério, beirava ser sisudo. Na infância, chegou a me dar uma surra de corda quando tirei umas boas dezenas de mangas verdes do seu quintal. Nunca apanhei dos meus pais, mas meu avô não deixou passar aquela traquinice. Eu gostava muito dele. Conversávamos mais durante as partidas de buraco. E foi numa dessas mesas de cartas que ele me falou um dia: um homem se reconhece pelos sapatos que usa.

Máxima popular, essa dos pisantes está plenamente atual. De tudo o que a gente usa diariamente, talvez os sapatos sejam o mais negligenciados. Lavamos e passamos calças e camisas, mas pouco lustramos os sapatos. Quando se trata de tênis o drama tende a ser ampliado sobremaneira. A tal ponto que convencionou-se dizer que os sneakers puídos tem uma cara mais atual.

Não é por desleixo. Quando se fala que o desgastado tem seu valor deve se entender que a estética destroyed vem de uma tentativa perene de desconstrução do belo. Não precisamos aparentar perfeccionismo, tampouco ser. A combinação ganhou outra ordem: estética precisa casar com conforto.

A trend absoluta de 2017 tem, sem dúvida, essa pegada. Estamos falando da mule – ou o sapato slipper, que já tinha dado a cara e feito muito sucesso nos anos 1990, mas só entre as mulheres. A reinvenção, mais de duas décadas depois, veio com a linguagem do agênero e um afrescalhamento sem tamanho. Afinal, os homens que ousam usar mule – e eu me incluo nisso – não têm um pensamento minimalista.

Com brilho, biqueira, fivela, metalizado e até aplicação de bordados, o que apareceu com muita veemência na coleção da Gucci. De todo jeito ele é bem-vindo. O que, pra já, parece muito estranho de explicar. Normalmente os calçados de inverno são mais fechados e com solado robusto. Nem um, nem outro. A mule para os homens, claro, é flat como uma sandália de couro. Só que com bico de sapato. 

Qualquer homem que vá consultar manuais de estilo, passará batido por essa informação. A mule é um tipo de calçado fashionista, nada básico, apesar de ser muito versátil. Dá pra usar com bermuda, jeans ou calça de alfaiataria. Com blazer fica um luxo! Porém, está muito longe dos modelos clássicos, resistente ao vaivém das tendências.   

O berdy com pontos metalizados e até mesmo o brogue são modelos que estavam suprindo essa carência por algo atualizado, para se usar com uma calça com padronagem moderna, que deve ter a barra mais curta, mostrando a canela. Subiu-se um pouco mais e voilà (!), a mule ainda consegue o plus de deixar o calcanhar de fora. É o que eu chamaria de uma moda sem protocolo. 

Mundo afora, muitos caras do universo da moda já estão usando. O italiano Mariano di Vaio talvez tenha sido o percussor e aqui no Brasil encontrou nomes como João Freire. Ele adotou um modelo que eu também comprei: preto com ferragem. Assim o calçado parece mais simples, apesar de concordarmos que só seu modelo já é muito carregado de informação. 

É para quem quer inovar, de forma criativa e autêntica. Mas, como em todo surgimento, essa tendência gera muita controvérsia. Já ouvi comparações com pantufas e até as sempre polêmicas crocks. Embora os sapato slipper tenha trânsito livre entre diversos estilos de roupas, é muito mais sofisticado que os seus rivais de dias à toa.

Não digo meu avô, que sempre foi adepto das Havaianas em branco e azul. Mas tenho certeza de que meu pai, que sempre usou os chilenos de couro mais diferentões, calçaria uma mule tranquilamente.

Em tempo:  sapato é chamado de slipper, significa que sua origem é de fundo de rede, como a gente diz aqui no Nordeste. Para os dias livre no interior ou para compor o look homewear do homem cosmopolita. Mas isso mudou e continuará. Quem calçou recentemente, para desfilas pelas ruas, as sandálias slide – esportivas icônicas da Adidas – ou o modelo birken, também se renderá em questão de tempo.

 

* Texto originalmente publicado no Novo

Please reload

Destaque

O que comprar em promoção?

08.07.2019

1/6
Please reload

O CRICOFELIX.COM é o site criado pelo jornalista Cristiano Felix sobre tudo o que interessa ao dândi moderno: tecnologia, moda, comportamento, gastronomia etc. As imagens contidas podem ser creditadas ou reproduzidas de fontes externas. Caso você tenha os direitos sobre qualquer imagem publicada aqui e não quiser que ela seja veiculada, entre em contato para que ela seja prontamente removida.  

Categorias:

Comente aqui:

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now