Ibiza além do paraíso artificial

24.04.2015

Pra quem gosta de vida ao ar livre, com sol, mar e maresia, Ibiza é um paraíso. Longe dos clubes aturdidos de delicadezas, onde há incontáveis artifícios e menos beleza, existe uma ilha cheia de encantos, água cristalina, casais que se satisfazem com um par e mais gente em busca de tranquilidade. Pra entender porque o resto é lenda basta continuar lendo.

Como o sol nasce depois das 8h, seja inverno ou verão, a praia começa no final da manhã e fica cheia por volta do meio dia. Para aproveitar o dia nos arredores de Ibiza, melhor chegar mais cedo. As praias com faixa de areia são pequenas e disputadas: as areias e o mar convidam a todo, mas o acesso é limitado, não cabe muita gente.

A menor delas é a praia de Figueretas, ao lado de Ibiza Ciudad ou Eivissa, como é chamada em ibizenco, o idioma oficial da ilha, que parece com o catalão com sotaque francês. Dá pra ir andando tranquilamente se você estiver hospedado no centro ou em uma área mais afastada. A caminhada é boa e o vento forte. Mas, pra quem não gosta de gastar pernas, há ônibus que passa de hora em hora (custa € 1,60 a passagem, paga ao motorista) ou se pode alugar o que quiser: carro, moto, bicicleta. O aluguel é barato. Paguei € 20 por dia numa scooter e, mesmo sem nunca ter pilotado, me virei bem. Muito outdoor pela cidade diz que essa é a melhor forma de conhecer Ibiza. Sobre duas rodas a gente ganha ar puro, agilidade e estaciona fácil.

Uns dez anos atrás fui à Ibiza pela primeira vez. Era mês de junho e já estava tudo lotado. A maioria das casas (bares, restaurante e baladas) abre no início de maio e funciona até setembro, mas os meses mais disputados são julho e agosto. Dessa vez fui em abril, bem no meio da primavera e o clima era completamente diferente. Como o tempo era incerto, muita gente saía com jeans, tênis e casaco e, se o sol desse o ar da graça, se jogava na praia. Aconteceu comigo muitas vezes em uma semana. Sol de 22 graus, nenhuma nuvem - no céu ou sobre a cabeça. Nenhuma preocupação em mudar de planos no meio do dia.

O café da manhã ser reforçado é providencial, pra qualquer das hipóteses do dia. É por causa dele que a gente pode fazer um almoço tardio. Em Figueretas, por exemplo, há vários pequenos restaurantes ao redor. E o pessoal que está na praia começa a subir pra o calçadão por volta das 18h. Como em todo lugar na Espanha, se pode comer de um tudo, mas o que é oferecido no menu do dia (entrada, segundo prato e sobremesa ou café) é o que há de mais fresco. 

Saca só esse vídeo que fiz em Figueretas!

Outra praia imperdível exige programação e mais tempo. Formentera é uma ilha ao lado, de água azul turquesa e paz absoluta. Para chegar até lá é preciso alugar uma lancha ou comprar bilhetes de ferry. O trajeto leva pelo menos meia hora e custa em média € 40, ida e volta. Há transporte mais barato, mas todos têm poucos horários de partida e são mais lentos, levam mais tempo pra chegar. 

Em Formentera o transporte mais legal, para um dia, é mesmo a bicicleta. Custa € 12 o dia e é super seguro. Dá pra pedalar do porto até o centro, passando pela praia de Ilhetes, a mais bonita do arquipélago.

Ilhetes fica numa ponta bem estreita e tem faixa de areia branquinha. O lugar é paradisíaco, ainda que as fotos não revelem a temperatura da água. Sim, ela é fria até o verão, quando fica em torno de 20 graus. É menos que a temperatura do nosso corpo e, por isso, o primeiro contato pode ser estranho. Outro detalhe que exige cuidado é com as águas-vivas. Nos últimos anos elas chegaram à ilha e se concentram em cada momento em um ponto diferente do litoral. Antes de mergulhar de cabeça - a cor da água nos atrai, inevitavelmente - é bom perguntar a quem more por lá sobre essas invasão. Quando estive em Ilhetes não havia nenhum desses seres e eu aproveitei pra brincar na água. 

O único bar do pedaço, El Pirata, serve várias delícias e tem uma música lounge bem bacana. Muita gente descolada disputa as mesas e os drinques da carta. Já falei desse lugar aqui e recomendo. é melhor opção do que comer no centro, a menos que você consiga se programar e encontre aberto o Can Dani, o único restaurante das ilhas baleares que ostenta uma estrela do Guia Michelín.

Do lado esquerdo de Ibiza está a praia de Talamanca. É mais extensa e onde eu decidi me hospedar, num SPA Hotel chamado Simbad. Como naquela parte da orla existe mais espaço, os bares e restaurantes são mais espalhados, mas eles também têm uma estrutura melhor, enormes colchões ao sol e mais música. É uma delícia para passar o dia e tomar umas bebidas. Só prepare o bolso porque nenhuma delas, nem uma simples cerveja, sai por menos de € 10. O resto é relaxar e curtir a natureza que ali sabe mostrar toda a sua exuberância, para a sorte de quem não é notívago.

Só mais uma observação: seja você heterossexual ou gay, jovem ou mais maduro, diurno ou noturno, sempre encontrará, em qualquer lugar, gente que queira curtir um belo romance de verão. A fama de que Ibiza é um paraíso para a galera do arco-íris não passa de lenda. Todo o mundo pode viver essa experiência.  

 

Texto: Cristiano Félix

Fotos: Cristiano Félix e Éverton Barbosa

 

Please reload

Destaque

O que comprar em promoção?

08.07.2019

1/6
Please reload

O CRICOFELIX.COM é o site criado pelo jornalista Cristiano Felix sobre tudo o que interessa ao dândi moderno: tecnologia, moda, comportamento, gastronomia etc. As imagens contidas podem ser creditadas ou reproduzidas de fontes externas. Caso você tenha os direitos sobre qualquer imagem publicada aqui e não quiser que ela seja veiculada, entre em contato para que ela seja prontamente removida.  

Categorias:

Comente aqui:

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now